sexta-feira, 20 de julho de 2018

Bodas de Ouro

Ir Almerita Ramos, missionaria Comboniana, celebrou as Bodas de Ouro de consagração religiosa missionaria, dia 24 de junho 2018, junto a seus familiares e amigos. 
Ir Almerita trabalhou muitos anos na Africa na Republica Democrática do Congo, no Togo e no Benin. Atualmente trabalha em Salvador, Bahia.  





quinta-feira, 5 de julho de 2018

Missão Comboniana num mundo intercultural

Ir Janete Castro em sua nova missão, Al Ain  nos Emirados Árabes. Comunidade intercultural: Quênia, Sudão, Brasil e um grupo da Paroquia de Al Ain, da Índia.

Irmãs Missionárias Combonianas

Somos uma família religiosa missionária, formada por 35 nacionalidades, que atualiza na Igreja o carisma do Fundador São Daniel Comboni, dedicando-se totalmente à missão “ad gentes” em quatro Continentes  –  África, América, Ásia, Europa.
Somos consagradas a Deus para a evangelização por meio da profissão dos conselhos evangélicos, e vivemos fraternalmente em comunidades multiculturais.
A nossa finalidade é a evangelização dos povos aos quais não foi ainda anunciada a mensagem evangélica, privilegiando os mais pobres e necessitados, especialmente na África

Jovem, se você deseja conhecer melhor as Missionarias Combonianas contate-nos
(69) 99315-0687

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Vidas entregues


Fazemos memória de um ano da passagem das irmãs Luisa Manuel (Moçambique - África) e Giusy Lupo (Itália), missionárias Conmbonianas, vitimas de um trágico acidente de carro na BR 230 (transamazônica) em 24.06.2017, que  tirou a vida destas duas missionárias, enquanto visitavam as comunidades da Paróquia Santa Luzia, em Santo Antonio do Matupi (AM) Km 180 da transamazônica. 

Um ano já se passou, nos custa acreditar. Mas ousamos proclamar que nada, nem a morte “poderá nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8,39). 
Queridas irmãs Luisa e Giusy: temos certeza de que vocês estão felizes junto de Deus, pois suas vidas iluminaram muita gente e os lugares por onde passaram ficaram marcados pelas suas atitudes, pelo vosso amor e entrega. Intercedam por nos e pelo povo de Santo Antonio do Matupi (AM). 
Que o exemplo e o testemunho de vida de vocês nos inspirem a continuar nossa missão com o mesmo entusiasmo e alegria que sempre demonstraram. Que muitas jovens possam ouvir os apelos do Senhor e responder com generosidade e alegria: eis-me aqui, envia-me.




quinta-feira, 31 de maio de 2018

NOTA DA CNBB SOBRE O MOMENTO NACIONAL

“Jesus entrou e pôs-se no meio deles e disse: A paz esteja convosco”(Jo 20,19)
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, solis caminhoneiros.

A crise é grave e pede soluções justas. Contudo, “qualquer solução que atenda à lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo, especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça” (CNBB, 10/03/2016). Nenhuma solução que se utilize da violência ou prejudique a democracia pode ser admitida como saída para a crise.
Não é justo submeter o Estado ao mercado. Quando é o mercado que governa, o Estado torna-se fraco e acaba submetido a uma perversa lógica financista. “O dinheiro é para servir e não para governar” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium, 58).
É necessário cultivar o diálogo que exige humilde escuta recíproca e decidido respeito ao Estado democrático de direito, para o atendimento, na justa medida, das reivindicações.
As eleições se aproximam. É preciso assegurar que sejam realizadas de acordo com os princípios democráticos e éticos, para restabelecer nossa confiança e nossa esperança. Propostas que desrespeitam a liberdade e o estado de direito não conduzem ao bem comum, mas à violência.
Celebramos a Solenidade do Corpus Christi, fonte de unidade e de paz. Quem participa da Eucaristia não pode deixar de ser artífice da unidade e da paz. O Pão da unidade nos cure da ambição de prevalecer sobre os outros, da ganância de entesourar para nós mesmos, de fomentar discórdias e disseminar críticas; que desperte a alegria de nos amarmos sem rivalidades, nem invejas, nem murmurações maldizentes (cf. Papa Francisco, Festa do Corpus Christi, 2017). O Pão da Vida nos motive a cultivar o perdão, a desenvolver a capacidade de diálogo e nos anime a imitar Jesus Cristo, que veio para servir, não para ser servido.
Conclamamos, por fim, todos à oração e ao compromisso na busca de um Brasil solidário, pacífico, justo e fraterno. A paz é um dom de Deus, mas é também fruto de nosso trabalho.
Nossa Senhora Aparecida interceda por todos!
Cardeal Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília (DF)
Presidente da CNBB
Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de São Salvador (BA)
Vice-Presidente da CNBB
Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília (DF)
Secretário-Geral da CNBB
dária com os caminhoneiros, trabalhadores e trabalhadoras, em manifestações em todo território nacional, e preocupada com as duras cons
equências que sempre recaem sobre os mais pobres, conclama toda a sociedade para o diálogo
e para a não violência. Reconhecemos a importância da profissão e da atividade do

sábado, 21 de abril de 2018

DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

«Escutar, discernir, viver a chamada do Senhor»
"... O Senhor continua hoje a chamar para O seguir. Não temos de esperar que sejamos perfeitos para dar como resposta o nosso generoso «eis-me aqui», nem assustar-nos com as nossas limitações e pecados, mas acolher a voz do Senhor com coração aberto. Escutá-la, discernir a nossa missão pessoal na Igreja e no mundo e, finalmente, vivê-la no «hoje» que Deus nos concede." (da mensagem do Papa Francisco para o 55.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações)

Neste domingo do Bom Pastor, 22/04/2018, celebramos o DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES. Somos convidadas (os) a rezar pelas vocações pedindo ao Senhor da Messe que suscite novas vocações, em particular no meio das juventudes. 

Jovem Que tal ser Missionária além-fronteiras? 

Contate-nos: 

vocacionadas@gmail.com ou whatsapp (69) 99315-0687. 


Somos Irmãs Missionárias Combonianas. Estamos presentes na: África, América, Ásia e Europa. Nosso Fundador: São Daniel Comboni. Nossa MissãoA evangelização dos povos aos quais não foi ainda anunciada a mensagem do Evangelho, privilegiando os mais pobres e necessitados, especialmente na África.
Nossa Missão no Brasil: Promover o crescimento das comunidades cristãs, animação missionária, realizar os valores do Reino de Deus nas situações de opressão, injustiça e pobreza; empenhadas no campo da saúde, do social e educativo.









quarta-feira, 18 de abril de 2018

Irmã Dalva partilha sobre sua experiencia na África


Foram 22 anos, 2 meses e 1 semana partilhando minha vida com o povo da República Centro-Africana. 
Posso definir esses dias como um tempo de escola da fé e de uma grande amizade com o povo. Sinto que cresci como mulher consagrada e missionária comboniana. 
Vivi em três comunidades, presentes em três dioceses diferentes. Guardo lembrança especial de cada Irmã com quem rezei, partilhei os desafios e planejei as atividades. Tudo tinha o objetivo de continuar o que tantos missionários e missionárias realizaram, desde o início da evangelização no País, há quase 125 anos, e a organização da nossa vida comunitária, pois acredito profundamente que evangelizamos como comunidade.
Os seis anos na Pastoral catequética foram de muito empenho para conhecer e viver nessa realidade, onde tudo era novo para mim: língua, cultura, metodologia pastoral. A acolhida e a simplicidade do povo davam-me coragem para avançar em alto mar. 
Foram três anos de trabalho desafiador com os povos Pigmeus: estradas e pontes muito perigosas, miséria extrema, faltava tudo, mas eu sentia que eles me amavam e eu os amava também. Fiz a experiência e aprendi que é possível viver com pouco, pois não são as coisas supérfluas deste mundo que nos trazem felicidades, mas o bem que fazemos para as pessoas.
Na Pastoral Vocacional e Animação missionária foram 7 anos de intenso planejamento, programações e realizações, sempre com as minhas Irmãs, e tantas outras forças locais, como padres, irmãs e leigos.
Como coordenadora da Província por seis anos, penso ter ajudado as Irmãs da República Centro-Africana, Chade e Camarões a realizar a missão que cada uma recebeu, fazendo sempre o possível para escutar e acompanhar os desafios do seu ministério. As viagens eram muito longas, fossem de avião, ônibus, carro, carroça, moto ou a pé, mas não faltava diversão. Vi muito sofrimento e injustiça, mas também gozei de muitas belezas naturais, privilégios e delicadezas de pessoas que nem conhecia. Encontrei Deus, o amei e o toquei muitas vezes, sem mesmo o perceber no momento.
A realidade política e social do País não oferecem uma vida digna, tranquila e serena ao povo, que está vivendo uma guerra há mais de quatro anos sem tréguas. Muitas vidas foram eliminadas de modo violento e agressivo. Sofremos muito ao ver o nosso povo morrer por falta de recursos mesmo com tantas riquezas naturais nesses Países: ouro, diamante, petróleo, madeira, cimento, coltan.
O conflito interno étnico e religioso no Centro-África e a falta de informação mundial sobre o Continente Africano são um mal para a África, tão amada por Comboni e por todos nós que seguimos os seus passos. A contradição é enorme, já que a África é rica, muito rica, o que a faz viver há tantos anos em guerra. As razões dessas atrocidades são a má governança do País, a disputa pelos minérios, a falta de autoridade política, a falta de emprego para os jovens e o analfabetismo. Das 16 prefeituras, 14 estão sendo controladas por diferentes grupos de rebeldes.
Não dá para ficar calado, por isso a Igreja ajuda o povo a abrir os olhos para assumir suas responsabilidades. A responsabilidade não é só dos colonizadores, da comunidade Europeia, da China, da América, mas de cada um que deixa de pensar, acreditar, esperar e agir em favor de uma nação melhor hoje e amanhã. Os 12.900 homens da MINUSCA, (Missão multidimensional integrada das Nações Unidas para a estabilização no Centro-África) que têm a responsabilidade de enfrentar os grupos armados que se organizam cada vez mais, será inútil sem o esforço e a colaboração de todos os Centro-africanos.
A Igreja, com todo o pessoal apostólico e, em particular, o nosso Cardeal Dieudonné Nzapalainga, é a única força credível hoje, e que foi capaz de impedir que a situação fosse ainda mais grave. Agradeço a Deus pela sua proteção nos momentos de violências e agressões, e às minhas co-irmãs pela coragem e fidelidade de se arriscarem por amor, permanecendo com o povo, mesmo quando recebemos o convite de nossa Responsável Geral para sair do País nas horas mais duras e incertas, ou quando não se podia fazer outra coisa a não ser rezar e escutar as pessoas que vinham à nossa porta pedir ajuda. 
Assim, a missão não é fazer algo para os outros, mas partilhar com o próximo a sorte dos demais, ajudando-os a manter a chama da esperança de um futuro melhor, pois como disse Padre Zezinho não dá para viver em paz onde não há o que comer”.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Jovens em Missão na aérea ribeirinha

A experiência da Páscoa missionária reuniu 16 jovens que decidiram viver o Tríduo pascal com as comunidades ribeirinhas do Distrito de Calama, Paróquia São João Batista, região do Baixo madeira, Porto Velho. Além das visitas as casas dos moradores, os missionários celebraram com algumas comunidades o tríduo pascal, e realizaram encontro com a Juventude daquela paróquia.


A experiência proporcionou aos jovens um encontro com Jesus na vida do povo, que resulta no amadurecimento na fé. A experiência da missão organizada pela equipe da Família Comboniana (Padre, Irmã e leigos) vem fortalecer a vida da juventude, contribuindo no crescimento do carisma missionário e reforçando a identidade do discípulo missionário.
Seguindo o carisma Missionario Comboniano, optamos pelas areas ribeirinhas no desejo de sermos presença de esperança e vida para aqueles e aquelas que fazem dos desafios suas lutas diárias. Desejamos estar perto daqueles que estão longe, dos mais pobres. 
Jovem venha viver essa aventura da missão conosco, contate-nos:  69 993150687 









quinta-feira, 29 de março de 2018

Jovens em Missão


Um grupo de Jovens de diferentes Paróquias de Porto Velho-RO, partiram hoje para a missão do Baixo madeira para vivenciar a Páscoa com as comunidades ribeirinhas. Acompanham esses jovens o JMC (Jovens missionários Combonianos), o Padre Jorge Benavides (Colombiano), mccj e as Irmãs Missionárias Combonianas Márcia Correa (brasileira), Lydia Otieno (keniana) e Ghebaynesh (etiópica).




E você? Tem coragem de encarar essa linda aventura? junte-se a nós na aventura da missão. Entre nesse barco... Se você estiver interessada a viver a aventura da missão entre em contato conosco:  69 993150687 


terça-feira, 20 de março de 2018

Carta aberta de apoio ao povo do Brasil


“Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, 
porque deles é o Reino dos céus.” (Mt 5,10)

Nós, leigos, irmãs, irmãos e padres missionários combonianos de 16 países, de 3 continentes diferentes, reunidos em Salvador da Bahia no âmbito do Fórum Comboniano (de 11 a 19 de março) e do Fórum Social Mundial (de 13 a 17 de março) queremos nesta carta aberta manifestar a nossa solidariedade ao povo brasileiro de maneira geral e, em particular, a todas as pessoas de boa vontade que, apesar dos tempos difíceis da atualidade, de golpe e reformas nocivas, de intervenção militar, perseguições, ameaças e assassinatos, mantêm-se firmes no empenho da defesa dos direitos das pessoas e da criação, resistindo contra todas as formas de discriminação de gênero, raça, etnia, religião e ainda de destruição do meio ambiente.
A situação política e social com a qual nos deparamos no Brasil, de modo mais relevante os recentes assassinatos de Marielle Franco, no Rio de Janeiro, e de Sérgio Paulo Almeida do Nascimento, em Barcarena, Pará, causa-nos espanto e atinge-nos como parte da mesma família humana e de toda a criação, na certeza de que tudo está interligado, e impulsiona-nos, inspirados pelo carisma do nosso fundador, São Daniel Comboni, a fortalecer o nosso empenho na defesa de uma vida digna para todas as pessoas, e sobretudo, as mais pobres e abandonadas da sociedade.
Como missionárias e missionários, interpelados pelo testemunho de Jesus Cristo, reafirmamos o nosso compromisso nas várias dimensões da justiça e da paz, unindo-nos a todas e a todos os defensores da dignidade da vida humana e da criação, e auguramos que a força do Ressuscitado nos anime e fortaleça sempre mais na construção de um mundo mais justo e fraterno, nos guie pelos caminhos do Bem-Viver, e nos inspire nas denúncias das violações que ferem estes ideais.
Continuamos unidos e unidas,
Salvador da Bahia, 19/03/2018

Dia de São José, Operário


Os 53 participantes do Fórum Comboniano 2018.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Irmãs Missionárias Combonianas no Fórum Social Mundial (FSM)


Neste dia 15/03, celebramos o momento de oração com de oração com a alegria de celebrar o aniversário de Comboni e a nossa vocação missionária.
Dividimos-nos no local do Fórum Social Mundial (FSM) para participar de varias opções de workshops. Destacamos as apresentações dos nossos irmãos do Congo  e do Sudão do Sul e a criatividade do workshop da Rede O Grito contra o tráfico de pessoas.
Algumas de nós participamos de palestras sobre os novos paradigmas para o mundo de hoje.
Houve muitas manifestações e festas com varias expressões culturais e também protestos durante os intervalos.
Durante a tarde também participamos de palestras sobre educação popular e direitos humanos e no fórum mundial de teologia e libertação.
Ir Sandra Amado, Missionaria Comboniana